Resilênca

27-10-2021

"O bambu que dobra é mais forte que o carvalho que resiste"

Provérbio Japonês

A palavra "resiliência" em latim "resilio", que significa voltar. No campo da física refere-se à capacidade dos objetos voltarem à sua forma original depois de sofrerem deformações devido à força. (ex: uma mola, um elástico)
Resiliência no que toca a nós pessoas, é a capacidade que temos para enfrentarmos certas coisas que nos deixam tristes, magoados e sem vontade de continuar... é aí nesse momento que podemos escolher mantermo-nos tristes e desiludidos ou tentar alterar aquilo que estou a viver (tristeza em alegria, negativo em positivo, desilusão em esperança, dificuldade em oportunidade...). 


Uma outra capacidade relacionada com a resiliência é a capacidade de nos adaptarmos e sermos flexíveis diante das coisas que nos acontecem. Há um provérbio Japonês que diz: "O bambu que dobra é mais forte que o carvalho que resiste"


O bambu é uma árvore com um aspeto frágil, é oca e é muito alta, que cresce tanto em profundidade como em altura, chegando a medir 25 metros ou mais. 

O bambu é uma árvore que tem uma característica muito particular, é que se adapta ao mau tempo, dobra-se ao vento e à chuva forte, suporta a força das tempestades e depois da tempestade se ir embora, o bambu volta ao seu estado normal, como se nada tivesse acontecido. 


O mesmo se passa com as pessoas resilientes, que podemos chamar de pessoas bambu que perante as dificuldades, aceitam-nas, adaptam-se porque são flexíveis, promovendo a mudança dentro delas e fora delas, isto é, mudar a sua maneira de reagir perante as dificuldades e mudar o lugar onde vive m para uma lugar melhor. Além disso as pessoas bambu, olham para a mudança como uma oportunidade de serem melhores e de uma oportunidade de aprendizagem, por outras palavras, é como quando recebemos um bonus no jogo e depois ficamos mais rápidos.

A resiliência é a capacidade de transformação dentro de mim e fora de mim... alterar o que está errado, dentro de mim e fora de mim. A resiliência não é aguentar passivamente... não! 


A resiliência tem um antes e um depois... Viktor Frankl, um médico que sobreviveu aos campos de concentração nazi na Alemanha, durante a 2ª Guerra Mundial, disse uma vez que "Quando já não conseguimos mudar uma situação, somos desafiados a nos mudarmos a nós mesmos" e o que nos rodeia e a ver as coisas de uma outra maneira... passa de uma coisa difícil a uma oportunidade que tenho para mudar!


Os grandes resilientes da nossa história foram precisamente aqueles homens e mulheres que se propuseram a mudar a sociedade e a cultura em que viviam (mudar o ambiente que viviam em casa, no bairro, na região onde viviam), assumindo eles mesmo a grande tarefa transformar a sociedade num lugar bom, justo, seguro... O sujeito resistente é um sujeito crítico de sua situação existencia.

Viktor Frankl disse uma vez: "O homem que se levanta é ainda mais forte do que aquele que nunca caiu." 


Ou então Nelson Mandela (preso político na Africa do Sul , durante o Apartheid que disse: "A maior glória em viver, não está em nunca cair, em nunca falhar, mas sim, em nos levantarmos a cada vez que cairmos!O que eles quiseram dizer com estas frases? Não terá sido a experiência de terem escolhido acreditar sempre nas suas capacidades, no seu poder para ultrapassarem as dificuldades?

Eu acho que todos temos que ser como os atletas, ou seja, se sofrermos uma queda no treino ou achamos que falhámos em alguma coisa na vida, não nos devemos dar por vencidos logo à primeira... levantamo-nos e reiniciamos o treino até acharmos que estamos prontos para a grande maratona!!

Muitas pessoas só vêm o momento de glória de um atleta, mas não imaginam o que ele sofreu para chegar até ali... as horas de treino, as desilusões, as quedas... 

Na verdade, o que faz um atleta, nas são só as medalhas ou os troféus ganhos... isso seria muito fácil!! Não! 

Além das medalhas, o atleta é feito de superações que vêm depois das quedas... e além disso, são essas falhas e sacrifícios que vêm à memória dos atletas, quando eles sobem ao pódio ao ouvirem o hino. 

Mas para que serve a resiliência? Porque é que a vida não podia ser mais fácil?

Alguém disse uma vez: as dificuldades preparam pessoas comuns (como nós) para destinos extraordinários. A nossa atitude perante a vida é muito importante, pois como aconteceu aos grandes resilientes da história (Ghandi, Mandela, Madre Teresa de Calcutá, Viktor Frankl e muitos outros) a sua atitude diante das dificuldades permitiu-lhes ver a solução para resolver os problemas que tinham em frente e a capacidade de escolher de que lado é que queriam estar: do lado do problema ou do lado da solução... E tu em que lado queres estar?

Bom, pode parecer uma coisa difícil de entender à primeira, mas tal como os atletas, se treinarmos iremos conseguir chegar lá... além disso, não estamos sozinhos no mundo... temos a nossa família, amigos, vizinhos, toda uma comunidade a quem estamos linkados e essas relações são seguramente a nossa âncora de salvação, o espaço por excelência onde encontramos a segurança que precisamos, o sentido que procuramos para superarmos as dificuldades e onde nos sentimos acolhido e aceites como somos, sem julgamentos.

E quando não encontramos esse lugar de segurança, o que fazemos? 

Há um proverbio Português que diz: Quando se fecha uma porta, sempre se abre uma janela.... Aqui para nós podemos ler assim: Quando encontrares uma porta fechada, coloca a tua resiliência a funcionar e irás encontrar uma janela para entrares!